Entrevista: Melim aflora os sentimentos com “Deixa Vir Do Coração” em homenagem a Djavan

Este álbum é um refúgio, um abraço apertado quando não se pode ter contato físico. Cantando o amor com a proeza de quem sabe trazer leveza e aflorar sentimentos, a banda Melim lança o seu mais novo projeto, “Deixa Vir Do Coração”. Composto por 13 canções que contemplam a carreira de um dos maiores e mais importantes nomes da cultura nacional de todos os tempos, Djavan, o álbum traz releituras de hits como “Se”, “Eu Te Devoro”, “Flor de Lis”, incluindo a participação mais que especial de Djavan na faixa “Outono”. Ouça aqui

O álbum completo chegou nas plataformas de streaming nesta sexta-feira (11), véspera do Dia dos Namorados, pela Universal Music, sendo a primeira vez que um compilado de músicas do artista alagoano é regravado no digital. A Melim também irá disponibilizar os vídeos das faixas em blocos semanais no YouTube. Com direção de Ricardo Melchiades, os clipes foram gravados no Reuel Studios, localizado na Ilha do Governador, no Rio de Janeiro. 

Na última quarta-feira (09), a banda reuniu a imprensa do país inteiro para uma coletiva e contou um pouco pra gente sobre as novidades deste novo projeto. Uma das curiosidades é que o vídeo da música “Outono” foi o único gravado em estúdio e a canção foi uma escolha do próprio Djavan para fazer a participação. Lindo demais!

Capa Outono



A banda foi super atenciosa e respeitosa com os jornalistas, respondendo várias perguntas e tirando as dúvidas do novo projeto. Todos puderam ouvir as músicas com exclusividade, antes da coletiva. Para iniciar, a primeira dúvida era saber como veio a ideia de realizar esse novo álbum e o porque de ser o Djavan o homenageado, a Gabi Melim lembra que chegou de uma forma muito natural “Foi numa conversa no carro com meus irmãos que nós três decidimos gravar um disco em homenagem ao Djavan. Me lembro de falar sobre conexão e vontade de realizar algo que batesse meu coração. Djavan está em tudo, e a influência dele na nossa música é muito forte”, explicou.

Diogo Melim já ressaltou o quanto o homenageado fazia parte da vida deles, mesmo sem o conhece-lo pessoalmente “Ele sempre foi o nosso bam bam bam da música, citado religiosamente em todas as entrevistas, além de ser a trilha sonora oficial das turnês, pelas vans, ônibus e after shows nos quartos de hotéis. Acredito que essa homenagem aconteceria mais cedo ou mais tarde”, enfatizou.

O título ‘Deixa Vir Do Coração’ foi ideia do produtor musical que assina o álbum, Max Viana (filho do homenageado), e foi retirado de um trecho da música “Se”, coroando e batizando a homenagem ao ídolo dos irmãos Melim. Essa produção do Max no álbum também foi algo natural, já existia um carinho e admiração mutua “Ele é um cara que além de muito talentoso é muito vibe boa, humilde e dedicado. A escolha do Max para produzir veio do fato dele conhecer muito bem a obra do pai por completo, tocou por anos na estrada e nos trouxe a segurança de que a homenagem agradaria a Djavan, que escolheríamos as músicas certas e que cantaríamos com exatidão todas as letras, melodias e harmonias vocais. Max também conhece o nosso trabalho desde o começo, na verdade até antes de nós três nos juntarmos e nos apresentarmos como Melim. Temos uma relação de amizade e admiração mútua, por isso era a pessoa perfeita para realizar o trabalho”, pontua Rodrigo Melim. 

As faixas que compõem o mais novo projeto são: “Oceano”, “Lilás”, “Se”, “Eu Te Devoro”, “Azul”, “Navio”, “Nem Um Dia” (com participação de Juliano Moreira, que acompanha a banda durante a carreira tocando guitarra e violão), “Outono” (o single do álbum), “Acelerou”, “Cigano”, “Flor de Lis”, “Linha do Equador”, finalizando com “Samurai”. 

Sobre a segunda participação do álbum, de Juliano Moreira, Rodrigo comenta: “Além de ser o cara que nos inspira diariamente a escutar Djavan, ele conhece muito da MPB e disse que ficou muito feliz com o convite. A música que cantamos juntos foi a ‘Nem Um Dia’ e soa quase como uma celebração, tem muito carinho envolvido”. 

Ainda sobre essa participação, Diogo reafirma “Juliano é um amigo querido, parceiro de longa data, intérprete supertalentoso e guitarrista fenomenal, um dos maiores consumidores do trabalho do Djavan de quem já tivemos notícia. Espero que esse disco seja recebido com muito amor, foi feito por nós com bastante carinho”, conclui.



Já a contribuição física de Djavan surgiu de maneira inusitada e talvez “uma das mais inesperadas”, segundo Rodrigo. “Max se encontrou com o pai numa tarde em família, falou sobre o projeto com ele, que adorou a ideia, e de forma despretensiosa e espontânea Djavan comentou que gostaria de participar cantando uma faixa com a gente”, revela. 

A notícia foi comemorada. “Quando ele expressou a vontade de cantar com a gente na faixa ‘Outono’ eu quase caí para trás, foi uma felicidade imensa”, conta Gabi, que aproveitou para comentar sobre a fusão de épocas musicais: “O mais bonito de tudo é ver que de alguma forma podemos ser o canal de conexão para o público mais jovem que não conhece afundo a obra do Djavan, ser porta voz de composições atemporais de tanta riqueza musical e consistência. É um álbum homenagem de coração, voz e violão ao vivo, a esse cara que é tão importante para nós, para a música e para o mundo”.  



Fazer uma releitura, uma homenagem a quem é tão presente no cenário da música não é uma tarefa fácil. Diogo afirma que “O desafio maior é a responsabilidade de está se propondo de fazer isso. Uma coisa é você gostar, outra coisa é você profissionalmente se propor a fazer um álbum cantando músicas do Djavan que são realmente complexas.”

Para o Rodrigo e Diogo a música mais especial desse álbum é “Te Devoro”, já pra Gabi a sua lista das preferidas é grande “Azul, Navio, flor de lis… Enfim, eu gosto de tudo”. Sobre a divulgação do álbum perguntamos sobre a possibilidade de fazer uma live especial com as canções deste álbum, eles curtiram a ideia e não descartaram a possibilidade (foi a gente que pediu sim). Para finalizar, Diogo Melim fala sobre a sua expectativa sobre os fãs neste novo projeto “Espero muito que gostem, que entendam sentimentalmente o nome do álbum Deixa Vir do Coração que é realmente algo que a gente fez com muito amor”, finalizou. 

Lembra que eu falei lá no início dessa entrevista que o álbum era um abraço? É isso mesmo, reafirmo. Deixaram viva a essência da história e da musicalidade do Djavan, e colocando com sutileza o som que a banda já produz. Não teve sobreposição musical, teve companhia e mãos dadas para produzir algo muito especial.  Foi um abraço de gerações, de carinho, de amor, de cuidado… mesmo em tempos tão difíceis. Mais Melim na vida!

Fotos: Sergio Blazer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *