Desafiar é preciso?

Quem não é movido a desafios? Se você não é, deveria! O prazer pelo desafio enriquecedor que me foi oferecido e que não resisti. Calma! Vou explicar!

O Festival Atos de Teatro Universitário é uma iniciativa da Universidade Federal de Campina Grande, realizada por estudantes, funcionários e professores da Unidade Acadêmica de Arte e Mídia. A sua sétima edição aconteceu durante os dias 03 e 06 de dezembro, que reuniu espetáculos do Brasil inteiro, e que nessa experiência eu fui o coordenador da equipe de comunicação.

De início eu estava na equipe das redes sociais, coordenado pelo professor Rodrigo Apolinário que também foi coordenador geral de comunicação, junto de mais alguns amigos. Ao “andar da carruagem”, Rodrigo precisou se ausentar um pouco do grupo e precisou que alguém ficasse a frente da equipe de Redes sociais e assessoria de impressa… Surpresa! Alguém do grupo indicou o meu nome! Fiquei meio receoso, mas um receio bom. Tudo que é novo dá medo, não é? Tudo que nos tira da zona de conforto nos dá um certo receio… E quem liga para esse medo? Eu não dei ouvidos e aceitei a oportunidade.

Passei acompanhar as equipes mais de perto e ao mesmo tempo, feliz por estar trocando aprendizado com todos ali. Os dias foram se aproximando do festival, e nos “45 minutos do segundo tempo” da pré-produção… Outra surpresa! Recebo mais uma vez uma proposta do Rodrigo, me perguntando se eu poderia coordenar a equipe de comunicação com ele! Coloquei a mão na cabeça e falei “Calma!, Como assim?” Rodrigo me explicou detalhes e falou da necessidade que tínhamos para adquirir mais um coordenador para equipe geral de comunicação. Eu não pensei duas vezes! Aceitei de primeira! Estavam confiando em minha capacidade, e eu não poderia dizer “não” para a nossa própria equipe, para o nosso próprio festival. (Rodrigo sempre arruma um jeito de aparecer na minha vida e sempre trazendo surpresas ótimas, essa não foi a nossa primeira parceria e nem será a última).

 A experiência foi incrível! Poder acompanhar várias equipes, ajudar, ouvir mais e falar menos, ter calma e acima de tudo, ter consciência dos esforços de cada um…É sublime! Quem se esforça, quem dá o máximo de si, quem luta contra os próprios acontecimentos da vida e mesmo assim, se mantem na responsabilidade de não abandonar a equipe… A gente percebe nitidamente! Sentar, ouvir os meninos, revisar, prestar atenção nos pequenos detalhes, perguntar “o que precisamos melhorar?”, “o que fizemos de melhor?” e no meio do alvoroço todo, manter o respeito e educação entre as equipes…É primordial!

 Em linhas gerais, após o final do espetáculo, me reuni com o Rodrigo para avaliar o que foi produzido durante esses 4 dias de festival. E o número de entrevistas, de pautas, de releases, de fotos… Foi muito mais do que imaginávamos! Chegamos a ficar “boquiaberto” quando tabulamos os números reais da nossa produção. A equipe de comunicação foi incrível por se dedicar de verdade ao festival, por MUITAS das vezes tirar “leite de pedra” por motivos estruturais e acima de tudo, por se tratar de estudantes que estavam tendo uma primeira experiência alí no evento e mesmo assim, não tiveram receios em enfrentar os problemas de frente, sem medo e com disposição de resolver!

 (Não estou na foto por motivos de: estava em outro ambiente separando e preparando releases mas, estou bem representado♥ )

Todas as equipes fluíram para que o melhor acontecesse, e que os fatores que apareceram no caminho tenham servido de aprendizados para todos, porque a felicidade e o prazer de manter vivo o espirito de um festival deve se manter no palco e principalmente, por trás dele. Obrigado!

“O trabalho de teatro é um trabalho em equipe.” (Eugenio Kusnet)

Fotos: Jéssica Oliveira ♥

Quer conferir tudo que rolou durante o festival? Acesse a fanpage oficial do festival Atos  e fique sabendo de tudo que aconteceu!  

 

Deixe uma resposta