A Fé que move o caminho de Sandra Paula

Quando falamos no jornalismo produzido em Campina Grande, vários nomes vêm em nossa mente de imediato e com certeza, Sandra Paula é um deles. Mesmo não sendo natural de Campina Grande, e sim de Palmares – PE, a sua história se fez aqui na Rainha da Borborema e foi com ela que realizei uma entrevista bem produtiva.

Foto: Arquivo Pessoal

Determinada e confiante, durante o curso de Comunicação Social, Sandra Paula estagiou no Jornal da Paraíba e ela comentou algo bem importante sobre entrar no mercado antes mesmo de terminar a sua graduação “Na faculdade, tive interesse em ingressar no jornal impresso antes mesmo de concluir o curso, pois acreditava que seria a base para que eu aprendesse, de fato, o que é ser jornalista.” afirmou. E desde então, ela não parou mais! Após o estágio, ela foi contratada pelo jornal. Mais tarde, foi experimentar o telejornalismo e passou cinco meses na TV Borborema e, depois, foi contratada pela TV Paraíba, onde ficou de 2001 a 2004 e de 2006 a 2011, passou pela TV Itararé em 2014 e retornou TV Paraíba no ano passado (2016), onde permanece atualmente.

Durante o tempo que ficou longe, ela procurou expandir os seus conhecimentos e crescer ainda mais! Fez MBA em Marketing e Comunicação,  mestrado em Desenvolvimento Regional com a linha de pesquisa voltada para o Turismo, onde também estudou o Marketing de Eventos, e montou uma pequena empresa chamada SP Marketing de Eventos, ou seja, ela não parou por um só minuto!

Sandra Paula é a nossa entrevistada da vez! Há muito tempo queria ter esse papo com ela e finalmente aconteceu. Conversarmos um pouco sobre a sua vida profissional e vários outros pontos do jornalismo. A todo tempo, ela demonstrou ser uma pessoa de muita fé e quando perguntei qual seria frase que a representava, a resposta veio de imediato “Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus.” E é com essa fé e determinação, que entrego para vocês essa entrevista quentinha que realizei com essa mega jornalista! Falamos sobre sensacionalismo, internet, redes sociais e muito mais, confira:

Em sua opinião, quais são as principais características que um jornalista deve ter?

O jornalista deve ter compromisso com a informação correta, respeito pelo telespectador e pelas suas fontes de informação, deve saber ouvir e falar na hora certa, e se adaptar rapidamente às mudanças do mercado.

Lembro que você já teve a oportunidade de trabalhar em mais de uma emissora de TV local, acho que dá para ter uma boa panorâmica do cenário jornalístico campinense. Em suas observações, quais avanços que o jornalismo local obteve nesses últimos 10 anos?

Posso citar a mudança do sinal analógico para a digital nas emissoras locais, o que exigiu altos investimentos, e a adaptação dos repórteres e demais profissionais, principalmente, cinegrafistas, que precisaram ser capacitados. Na TV Paraíba, uma grande mudança veio antes disso, em 2006, quando o jornalista Carlos Siqueira, assumiu a chefia da redação. O JPB primeira edição passou a ser local, ou seja, produzido em Campina Grande e eu tive a honra de ser a primeira apresentadora e sou grata à emissora pela oportunidade. Já o formato do JPB2 mudou totalmente, com Siqueira na apresentação.

Toda profissão tem suas dificuldades, qual a maior dificuldade que você já teve ou que vivencia em sua carreira profissional?

Lembro que uma das dificuldades que tive na minha profissão foi adaptar o texto de jornal impresso para o de TV. O de jornal impresso é mais amplo, mais detalhado. O texto de TV é mais curto, criativo e tem que “casar” com as imagens. Essa foi uma dificuldade superada.

Já existente há muito tempo, o jornalismo sensacionalista continua firme em algumas emissoras de televisão. Na sua visão, como você analisa esse tipo de jornalismo e como ele pode intervir na vida dos telespectadores?

Olha, sou muito adepta ao jornalismo sério, com precisão, para informar com responsabilidade. Respeito todos os meus colegas de profissão. Acredito que o jornalismo sensacionalista só responde aos interesses de quem o defende.

Durante todo esse tempo atuando em TV, qual foi o momento mais marcante pra você?

O jornalismo é uma profissão marcante. Todos os dias, nós aprendemos com as nossas fontes de informação, com as experiências dos outros. Fiz muitas matérias que marcaram a minha vida, como a série de reportagens sobre a seca e a situação do Açude de Boqueirão, por exemplo, que foi exibida no JPB segunda edição.

Foto: Arquivo Pessoal

Você já atuou como repórter e apresentadora do JPB, TV Paraíba. Tem algo mais na vida profissional que queira realizar? Algum sonho na área do jornalismo?

A empresa tem me dado a oportunidade de apresentar o JPB1 aos sábados, de acordo com a escala. Percebi muitas mudanças favoráveis. Sobre sonho ou objetivo de vida, quero fazer doutorado.

Como você vê o futuro da profissão de jornalista?

Acredito que sofrerá ainda mais mudanças provocadas pelas redes sociais, porque, hoje em dia, todo mundo pode ter uma câmera nas mãos e ser repórter por alguns instantes com o seu celular via internet.

Pra completar a entrevista, pra você quem é Sandra Paula?

Olha, Sandra Paula é só uma pessoa esforçada, que gosta de inovar, de estudar, de buscar novos conhecimentos, de ajudar. Sou muito “família” e amo muito a Deus!

2 comentários em “A Fé que move o caminho de Sandra Paula

  1. Uma profissional exemplar, eu a conheço desde a época da universidade e estágio, tenho orgulho de termos uma amiga e jornalista desse nível representando nossa região. Parabéns Sandra.

Deixe uma resposta